DestaqueRio de Janeiro

CNDH Investiga crescimento de células Neonazistas no Brasil

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos, inicia nesta terça-feira (25) uma série de atividades no Rio de Janeiro para investigar o crescimento de células neonazistas no Brasil. As ações se estenderão até o dia 28 de junho e incluem audiências em Niterói e na capital fluminense.

Durante esses quatro dias, o CNDH ouvirá relatos de vítimas, autoridades e especialistas sobre a expansão de movimentos neonazistas na região. Esta é a segunda missão do grupo, que já esteve em Santa Catarina em abril deste ano. Após o Rio de Janeiro, a próxima etapa da investigação incluirá visitas ao Paraná e São Paulo. O principal objetivo do comitê é elaborar um relatório até agosto, que servirá de base para a criação de políticas públicas e será submetido à Organização das Nações Unidas (ONU). O documento pretende fornecer um panorama detalhado sobre a presença e atuação de grupos neonazistas no país, visando orientar ações de combate a esse fenômeno.

Em seu último informe, divulgado em 31 de maio, a relatoria especial da ONU sobre neonazismo destacou o trabalho do CNDH, ressaltando as “informações preocupantes sobre o aumento do discurso de ódio e manifestações neonazistas nos últimos anos”. A ONU reconheceu a relevância das investigações conduzidas pelo colegiado brasileiro.

De acordo com um levantamento do Centro Nacional de Crimes Cibernéticos, operado pela ONG Safer Net em parceria com o Ministério Público Federal, foram registradas mais de 14.400 denúncias relacionadas a movimentos neonazistas no Brasil em 2021. Esses dados foram utilizados pelo CNDH para dimensionar a gravidade da situação e direcionar suas ações.

A atuação do CNDH no Rio de Janeiro representa um passo crucial na luta contra o extremismo e o ódio no Brasil, reforçando o compromisso das autoridades com a proteção dos direitos humanos e a promoção de uma sociedade mais justa e inclusiva.

Imagem de capa ilustrativa.

Morre a antropóloga Adriana Dias

Editoria Virtuo Comunicação

Projeto Comunicando ComCausa

Portal C3 | Instagram C3 Oficial

Débora Barroso

Jornalista comunitária e colaboradora da ComCausa.