Dez anos do maior desastre ambiental do Brasil

A maior catástrofe climática e geotécnica do país foi prevista pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) ainda na tarde do dia 11 de janeiro de 2011. Um aviso meteorológico especial foi emitido para o governo estadual por volta de 16h20. Pela noite e madrugada de terça para quarta, um grande volume de chuvas provocou enchentes e deslizamentos em sete municípios: Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis, Bom Jardim, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro e Areal. 

Uma área estimada de 2.300 km², onde vivem mais de 713.000 habitantes, foi atingida pelos temporais. Segundo dados oficiais, quase 1300 pessoas morreram e cerca de 30 mil pessoas ficaram desabrigadas. Até hoje, é o maior desastre socioambiental natural do Brasil.

Quase dois anos depois, em agosto de 2012, a ComCausa participou de uma força tarefa convocada pelo Governo Federal, para tentar reduzir o número de quase 200 desaparecidos. Foram meses de pesquisas e buscas feitas pelos Centros de Referência de Direitos Humanos da ComCausa (Baixada Fluminense), CDDH de Petrópolis e IEC de Juiz de Fora.

Apesar de se reduzir para menos de 100 pessoas ainda não identificadas atualmente – segundo dados do Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro – PLID, até hoje a população da região afirma que houve um número maior de mortos e desaparecidos. 

Nesta semana a sede do governo do estado do Rio de Janeiro será transferida por três dias para a Região Serrana para marcar os dez anos das chuvas torrenciais que causaram enchentes e deslizamentos de terra em janeiro de 2011. 

Na agenda de atividades da comitiva liderada pelo governador em exercício Claudio Castro, está: um sobrevoo pelos municípios mais atingidos, visitas a locais simbólicos, reunião com vítimas da tragédia, encontro com prefeitos e vistoria de obras de unidades habitacionais nos municípios de Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis, que sediarão o governo, respectivamente, neste domingo (10), na segunda-feira (11) e na terça-feira (12). De acordo com o Governo do Estado, a finalidade é levantar discussões com a população a respeito de prevenção de novas tragédias. Também estão previstos atos ecumênicos em memória às vítimas, homenagem aos bombeiros que trabalharam nas operações de resgate e anúncio de melhorias para a região.

A transferência da sede do executivo estadual consta em decreto assinado na última semana pelo governador em exercício, Cláudio Castro. Também foi instituído luto oficial nos três dias.

| Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

Adriano Dias

Jornalista militante e fundador da #ComCausa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *