Governo de Brasília pede desocupação de imóvel que abriga mulheres

Em um imóvel abandonado há 12 anos, localizado no Guará em Brasília, o Movimento Olga Benário Brasil estabeleceu um espaço para mulheres em situação de violência doméstica. Mas está sendo despejado pelo governo do Distrito Federal.

Chamada de Casa Ieda Santos Delgado, o local foi aberto no dia 24 de outubro, mas um dia após o anúncio do início do funcionamento, a Administração Regional do Guará – do Governo do Distrito Federal -, enviou um ofício às organizadoras pedindo que a ocupação fosse desfeita a desocupação imediata do imóvel utilizado pela recém-inaugurada casa para mulheres em situação.

Já no dia 11 de novembro, uma notificação extrajudicial de desocupação deu prazo de dois dias para a desocupação. Caso não haja a saída voluntária do imóvel neste prazo serão tomadas medidas “visando a retomada coercitiva”.

Na última quarta-feira (16/11), as representantes da instituição reuniram-se com o administrador do Guará, Roberto Nobre da Silva, a deputada federal Erika Kokay e o conselheiro de cultura do Guará, Rênio Quintas, para tentar negociar a manutenção da casa de acolhimento. Até o fechamento desta matéria, as mulheres resistem em sair do espaço.

O Movimento Olga Benário Brasil é conhecido por se estabelecer em imóveis sem uso social em todo o país para garantir abrigo a mulheres que sofrem com violência de companheiros. Segundo a instituição, o espaço localizado na QE 25 do Guará II, estava abandonado e passou por uma limpeza e restauração por parte dos voluntários.

Portal C3 | Portal C3 Oficial | Comunicação de interesse público | ComCausa

Adriano Dias

Jornalista militante e fundador da #ComCausa