Morte Nelson Rodrigues

Nelson Rodrigues faleceu no dia 21 de dezembro de 1980 aos 68 anos, no Rio de Janeiro, por causa de complicações cardíacas e respiratórias. Considerado um dos maiores e mais importantes escritores brasileiros, foi também dramaturgo, contista e cronista, suas obras são marcadas por mostrar o lado grotesco da sociedade. Um de seus livros mais famosos é a série de contos “A vida como ela é. Suas peças, contos, romances e crônicas apresentam, de forma geral, as seguintes características: Linguagem coloquial. Presença de gírias. Tom irônico.

O romancista era considerado o mais importante autor do teatro brasileiro contemporâneo, sua peça “Vestido de Noiva” (1943) é tida como um marco do teatro nacional. Escreveu a primeira peça (“Mulher sem Pecado”) em 1941. O primeiro romance (“Meu Destino é Pecar”) foi publicado em 1944.

A peça. Vestido de Noiva foi apresentado pela primeira vez em 1943 e tem como principal característica a divisão da dramaturgia em três planos de narrativa: realidade, alucinação e memória. No mundo real, Alaíde, uma moça da elite carioca, é atropelada e levada ao hospital entre a vida e a morte, ficando inconsciente.

Nascido no Recife no dia 23 de agosto de 1912, se mudou para o Rio de Janeiro e trabalhou no jornal A Manhã, que pertencia ao seu pai Mário Rodrigues. Foi repórter policial durante longos anos. Sua primeira peça foi A Mulher sem Pecado (1941), que lhe deu os primeiros sinais de prestígio dentro do cenário teatral.

Nelson Rodrigues sempre apoiou a ditadura militar brasileira e elogiou o governo do presidente General Emilio Garrastazu Medici. Mudou sua opinião quando seu filho Nelsinho foi preso e torturado pelo governo da ditadura militar, Nelson revisou seus posicionamentos e militou pela anistia “ampla, geral e irrestrita” aos presos políticos.

Portal C3 | Portal C3 Oficial | Comunicação de interesse público | ComCausa

João Oscar

João Oscar é militante de direitos humanos da Baixada e jornalista comunitário.