Neandro Santos de Oliveira

O Policial Militar Neandro Santos de Oliveira seguia em seu carro da casa da mãe, em Mesquita, na Baixada Fluminense, para o 31º Batalhão – Recreio dos Bandeirantes,  onde trabalhava -, quando na estrada do Rio do Pau deparou com uma blitz feita por bandidos por volta das 23h30 da segunda-feira do dia 12 de outubro de 2015.

Neandro foi reconhecido como PM por sua escala de trabalho, que estava no banco do veículo. Ele tentou fugir e trocou tiros com os bandidos, mas acabou batendo o veículo em uma árvore. Seu carro, com documentos e manchas de sangue, foi encontrado horas depois, dentro da favela Final Feliz, que integra o complexo de favelas do Chapadão, em Costa Barros na zona norte do Rio.

Um corpo carbonizado foi encontrado dentro de um Prisma no dia 20 de outubro de 2015, na Via Light.  Após o resultado do exame de arcada dentária e DNA, foi possível confirmar que o corpo era realmente do soldado desaparecido desde o dia 12. Neandro estava há dois anos na Polícia Militar, tinha se casado recentemente e sua esposa estava grávida

Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

Jailma Martins

Estudante de sistema de informação e colaboradora da ComCausa.