Primeira deputada negra no livro de Heroínas da Pátria

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a Lei que insere a primeira deputada negra no livro Heróis e Heroínas da Pátria.

Filha de uma escrava liberta, Antonieta de Barros já era adulta quando aprendeu a ler e escrever, abriu um curso popular para alfabetizar adultos.

Antonieta criou o Dia do Professor e transformou esta data em feriado escolar no estado de Santa Catarina, no ano de 1963 o feriado se tornou nacional, também foi responsável por criar leis que concediam bolsas de estudos em cursos de nível superior a alunos de vulnerabilidade social.

É considerada a primeira mulher negra a trabalhar na imprensa em Santa Catarina, e foi a primeira mulher a assumir a presidência de uma assembleia no país.

Nomes como Zumbi dos Palmares, Dom Pedro I, Ana Néri e Luís Gama, além de ex-presidentes, como Getúlio Vargas e Tancredo Neves também se encontram no livro. A obra fica no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

A ministra da Cultura, Margareth Menezes, e a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, também assinam o ato.

Portal C3 | Portal C3 Oficial | Comunicação de interesse público | ComCausa

João Oscar

João Oscar é militante de direitos humanos da Baixada e jornalista comunitário.