Programa Estadual de Cirurgia Bariátrica ganha novos polos

Nesta terça-feira (01/09), o Programa Estadual de Cirurgia Bariátrica comemorou o aniversário de 10 anos.De acordo com o secretário de Estado de Saúde, quatro novos polos para cirurgia de redução de estômago serão implantados: Metropolita I, Médio Paraíba, Noroeste e Metropolitana II.

Com a criação de quatro novos polos, além de ampliar o cuidado a pessoas em estado de obesidade, a expectativa da Secretaria de Estado de Saúde (SES) é reduzir drasticamente a fila por cirurgia bariátrica ou zerar.

Outro ponto positivo, é ofertar o atendimento em unidades mais próximas das residências dos pacientes, evitando grande deslocamentos. Atualmente, apenas o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, na Zona Norte, realiza o procedimento.

Hospital Carlos Chagas é referência em cirurgias

As operações começaram em um cenário onde eram realizadas apenas 20 intervenções por ano, em média, pelo SUS, e passaram para 480 operações de redução de estômago feitas pelo estado.

Hoje, o programa é o mais importante da rede pública brasileira e o único a oferecer o procedimento pelo SUS por videolaparoscopia, que é minimamente invasivo.

Nessa luta contra a balança, 3200 pacientes já tiveram as vidas transformadas, como ser mãe e vencer a luta contra droga, e deixaram para trás 157 toneladas de peso excedente. Desde a retomada das cirurgias, no dia 13 de julho deste ano, 80 pessoas já realizaram o procedimento.

Como se habilitar para a cirurgia

Para se candidatar a uma cirurgia bariátrica pelo SUS, o paciente deve procurar atendimento em uma Clínica da Família próxima da residência para que um médico avalie a necessidade da cirurgia. Se a operação for indicada, o médico solicita uma segunda avaliação para a Central Estadual de Regulação (CER), que encaminha o pedido de forma on-line.

O paciente é contatado e tem uma consulta de avaliação marcada. Antes da cirurgia, há um rigoroso programa de preparo obrigatório, com acompanhamento de uma equipe multidisciplinar (médico, enfermeiro, nutricionista e psicólogo). A idade para realização do procedimento varia dos 16 anos aos 65. Após o procedimento cirúrgico, os pacientes ainda são acompanhados por cinco anos no Hospital Estadual Carlos Chagas.

Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

Emanoelle Cavalcanti

Emanoelle Cavalcanti

Jornalista social e acadêmica de psicologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale com o PortalC3