Unidade de saúde familiar é inaugurada em Meriti

0
7
unidade saúde meriti
unidade saúde meriti

A Prefeitura de São João de Meriti inaugurou nesta quinta-feira (20), uma nova ‘Unidade de Saúde da Família’.

O posto foi inaugurado no bairro Vila São José e vai atender o programa Estratégia de Saúde da Família (ESF) e atenderá o Morro do Gonçalves, Vilar Formoso, uma parte do Jardim Íris e uma parte do Morro do Amor, o que corresponde à estimativa de oito mil moradores locais.

 “O posto de Saúde da Vila São José é muito especial, principalmente para o prefeito. Essa unidade homenageia Jacy Alves dos Santos Júnior. Um eterno amigo que nos incentivou a conhecer a importância do trabalho político para a sociedade meritiense. Agradeço a todos que contribuíram para que esse momento pudesse acontecer. É um marco para a região, que ganha sua primeira unidade de saúde”, destacou a secretária de Saúde, Marcia Lucas.

Os serviços prestados aos moradores serão: Saúde da mulher; Saúde do homem; Saúde da criança e puericultura; Atendimento do Programa Hiperdia; Coleta de preventivo; Acompanhamento do programa Bolsa Família; Coleta de sangue; Vacinas do Programa Nacional de Imunização (exceto Covid-19); Pré-Natal e Teste do pezinho.

Saúde básica no Brasil

Segundo o IBGE, cerca de 35 milhões de brasileiros ainda não têm acesso a nenhum serviço de saúde de uso regular (o conceito de serviço de saúde de uso regular exclui casos de emergência).

E, ainda mais alarmante, segundo dados apresentados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) oitenta e nove por cento dos brasileiros classificam a saúde – pública ou privada – como péssima, ruim ou regular. A avaliação é compartilhada por 94% dos que possuem plano de saúde e por 87% dos que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para pesquisadores, os projetos de saúde pública regular são extremamente necessários, mas nem sempre vem em primeiro lugar – boa parte dessas despesas do Brasil são privadas, ou seja: os gastos que vão para a saúde não estão indo para os hospitais públicos. O Brasil gasta em saúde 9,2% do PIB (soma de todas as riquezas produzidas), pouco acima da média dos 37 países-membros da OCDE, a maioria ricos, que é de 8,8% do PIB.

Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa