Micro-Ônibus vão embora da Nossa Senhora da Penha

Após a multa dada pelo DETRO/RJ e ser alvo de várias reclamações, a empresa Nossa Senhora da Penha, uma das maiores da Baixada Fluminense, está retirando os polêmicos micro-ônibus da sua frota.

A polêmica começou em setembro de 2020, quando a empresa mesquitense adquiriu trinta unidades do modelo Foz 2400, com carroceria fabricada pela Caio e montados sobre o chassi Mercedes-Benz LO-916 BlueTec 5. Todos equipados com ar condicionado. A medida tinha como objetivo combater a concorrência e agilizar as viagens, além de ajudar a empresa nesses tempos de crise no setor dos transportes.

Porém a iniciativa não foi bem aceita pelos usuários. A empresa, que embora bem conceituada, virou alvo de reclamações por conta da superlotação dos novos micro-ônibus. Os passageiros alegam ainda que os intervalos aumentaram, o que contribuiu para a superlotação. Quem precisa usar as linhas da empresa se depara com filas enormes e micro-ônibus superlotados, desrespeitando o distanciamento social, durante a pandemia da Covid-19.

Multa

A saída dos micro-ônibus pode estar relacionada a multa aplicada no último dia 05 de fevereiro pelo Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro – DETRO/RJ, após os agentes constatarem a superlotação que os passageiros da empresa são obrigados a conviver diariamente, desde que as linhas passaram a ser operadas por micro-ônibus.

A operação foi realizada no bairro de Cascadura, Zona Norte da Capital, onde a empresa opera três linhas. O valor das multas não foi divulgado.

Não se tem informações se todos os veículos serão trocados por ônibus, porém, na tarde da última terça-feira (23), um comboio com pelo menos cinco deles foi avistado na Rodovia Carlinhos da Tinguá – Via Light.

| Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

Thauan Mendes

Thauan Mendes

Graduado em letras, professor de inglês, jornalista social da ComCausa.