Investigações e manifestações no caso dos meninos desaparecidos em Belford Roxo

Dezenas de policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense deixaram a especializada em viaturas, rumo a duas casas ligadas a um suspeito de ligação com o crime.

Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fizeram buscas em dois endereços no bairro Santa Amélia, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, em busca de pistas do desaparecimento dos meninos Lucas Matheus, Alexandre da Silva e Fernando Henrique.

Dezenas de policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense deixaram a especializada em viaturas, rumo a duas casas ligadas a um suspeito de ligação com o crime. A DHBF teria recebido da família das crianças desaparecidas um áudio de um informante dando uma localização de onde estariam os garotos.

Na primeira casa, na região conhecida como Paisagem, mas nada foi encontrado. Investigadores partiram para o segundo endereço, onde foram feitas escavações, mas nada foi encontrado também.

Ainda ontem, (12) moradores fizeram um protesto na porta da DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) durante a tarde, para cobrar o avanço das investigações sobre o desaparecimentos de três crianças em Belford Roxo.

Os manifestantes fecharam a avenida Retiro da Imprensa e atearam fogo em um ônibus que estava no local. Cestos de lixo também foram usados como barricadas. 

No dia (11), os moradores agrediram e acusaram um homem de 35 anos de participação no desaparecimento de três crianças em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

Eles acreditam que o homem assassinou os jovens. Após ser agredido, ele foi amarrado e deixado na porta da Delegacia de Belford Roxo.

Na delegacia, o homem disse não ter relação com o caso, versão confirmada pela polícia. Além disso, os agentes afirmaram que ele não possui antecedentes criminais. No entanto, os pais das crianças entregaram um celular com mensagens que poderiam incriminá-lo. O homem negou ser o dono do aparelho e afirmou não saber de nada.

Desaparecimento das crianças

Lucas Matheus (8 anos), o primo dele Alexandre da Silva (10 anos) e Fernando Henrique (11 anos) saíram de casa por volta das 10h30 do dia 27 de dezembro para brincar no campo de futebol ao lado do condomínio onde moram, no bairro Castelar. Eles foram vistos pela última vez na feira de Areia Branca, também em Belford Roxo. 

Levaram cerca de 12 dias para que os nomes dos três meninos desaparecidos constassem no cadastro de crianças e adolescentes desaparecidos do Ministério da Justiça.

Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

Thauan Mendes

Thauan Mendes

Graduado em letras, professor de inglês, jornalista social da ComCausa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *